SEGUNDA 14/06
Heleninha se despede de Érico com discrição. Ela pergunta por que ele não dá a casa onde eles se encontram pra ela, já que vive vazia. Érico garante que vai dar uma casa a ela. Flores fala ao telefone que vai provar que, na prática, o movimento é possível. Arminda demora a acreditar que ela e Joca transaram e quando se dá conta do que aconteceu manda o detetive ir embora. Arminda pede pra Joca esquecer o que aconteceu entre eles. Karina conta para Célia que acha que Clorís recusou o pedido de Tito. Karina liga para a pousada e Tito manda Iara dizer que ele teve que sair. Nicolau transa com Lílian e deixa claro que eles partilham a cama, não a vida. Flores digita no computador um texto em que afirma que a revolução está em curso e ninguém vai ser capaz de detê-la. Léia, Sancha, Romeu e Querêncio jogam cartas. Arminda confessa a Eleonora que está preocupada com a ação que Dr. Flores está movendo contra a empresa. Teixeira diz que se a liminar sair é possível recorrer. Clorís encontra Flores na praça e o cumprimenta sorridente. Flores a convida para passar em sua casa no fim da tarde. Beatriz conta pra Larissa que vai tomar partido de Nicolau. Nicolau diz a Érico que está disposto a renunciar e deixa o pai surpreso. Bruno explica para Célia que Arminda exigiu que ele demitisse alguns funcionários e ressalta que se indispor com ela é correr um grande risco. Célia aconselha o marido a falar com Teixeira. Bruno diz a Teixeira que Célia o convidou pra jantar qualquer noite dessas. Ele fala também, sobre a ordem que Arminda mandou ele cumprir. A manchete “Quem matou Dona Dirce?” estampa a primeira página de mais uma edição da Folha da Corredeira. André liga pra Sônia e quando os dois estão marcando de se encontrar, Ajuricaba chama a filha, que se assusta e desliga o telefone. Furioso, Ajuricaba diz a Carmem que não vai dar entrevista nenhuma. Lincon afirma que vai continuar insistindo, até o delegado perder o controle. Ajuricaba conta para Marta que quer se aposentar o quanto antes. Eleonora pede pra Bruno expor seus argumentos sobre a decisão de Arminda. Joca vai até a casa de Romeu para saber sobre o sequestro, mas Romeu fica furioso e obriga o detetive a ir embora. Arminda chega ao escritório da Patrimônio Eterno e fica surpresa ao ver Eleonora, Teixeira e Bruno reunidos. Eleonora explica que Bruno lhe apresentou argumentos consistentes pra não demitir seus funcionários. Arminda fala que há um cronograma a ser cumprido e não há tempo pra sentimentalismos. Tito vai até a loja de Karina e explica que o jantar não vai acontecer. Karina fala para o noivo que talvez seja melhor cada um deles seguir o seu caminho. Clorís vai à casa de Flores. Ela se dá conta de que ele colocou a mão em seu joelho e fica surpresa.

TERÇA 15/06
Clorís aceita tomar vinho com Flores. Tito briga com Karina, que afirma que não vai continuar noiva dele sem saber quando será o casamento. Tito chama Karina de prepotente. Os dois discutem muito e uma cliente sai da loja de Karina sem comprar nada. Ambos dizem, um para o outro, que não suportam mais a situação. Karina diz a Tito que se ele for embora, não deve procurá-la mais. Tito sai. Clorís e Flores brindam. Flores seduz Clorís, que fica retraída. Flores tenta agarrar Clorís, mas ela se esquiva. Clorís diz a Flores que não está preparada para se envolver com alguém. O professor afirma que não vai desistir dela. Zuleide fala a Karina que tem certeza de que Tito vai voltar atrás. Sereno vai visitar Flores e vê Clorís saindo do casarão. Arminda fica furiosa por ter sido desautorizada a demitir funcionários e logo confessa que entendeu por que Eleonora ficou do lado de Bruno. Eleonora admite que ficou com medo da possibilidade de demitir seu próprio filho. Marta manda Joca tomar cuidado, porque Ajuricaba está irritado com ele. Arminda passa de braços dados com Teixeira em frente a Joca e o despreza. Joca observa frustrado. Ele ainda tenta ser percebido, mas Arminda o ignora. Guilherme chama Diana para ir até sua casa. Virgílio observa Clorís se banhar na piscina e puxa assunto com ela, que o trata com indiferença. André vai até a casa de Sônia, percebe que ela está sozinha e pula a janela. De início, Sônia fica desesperada, mas os dois acabam se beijando. Ari pede para Virgínia trabalhar até mais tarde, mas ela alega que tem família e não pode. Carlos vai até a casa de Guilherme e desconfia quando o amigo diz que Tião está tomando banho e prefere que ninguém entre no quarto. Carlos provoca Tião/Diana. Célia diz a Bruno que ele tem que se aproximar de Teixeira, pois foi o advogado quem convenceu Madame Durrel a ficar do lado dele. Arminda diz a Teixeira que não gostou de ele ter intermediado a conversa entre Bruno e Eleonora. Teixeira deixa claro que é advogado particular de Madame Durrel e só deve satisfações a ela. Célia liga pra Teixeira e o convida para jantar em sua casa. Tito diz a Clorís que, por causa dela, Karina rompeu com ele. Virgínia chega em casa e Sônia e André estão no maior amasso no quarto. André se esconde embaixo da cama de Sônia. Começa a chover forte em Ribeirão do Tempo. Pessoas que estão dentro de um carro observam Ari atravessar a praça. Tito convida Filomena para tomar um chope com ele. Um carro se aproxima de Ari e dois homens encapuzados o agarram. Ari pede socorro, mas é arrastado para dentro do carro.

QUARTA 16/06
Ari tenta convencer os dois homens a soltarem ele. Os bandidos entram com Ari em um galpão. Ari é obrigado a arriar as calças. Ele tira as calças e deixa cair maços de notas que estavam escondidos em sua cueca. Tito bebe caipirinha e Filomena, um chope. Os dois conversam. Tito oferece uma carona a Filomena, que não tem como recusar. André continua embaixo da cama, sem saber o que fazer. Ajuricaba chega e cumprimenta a filha e a esposa, sem paciência. Ajuricaba vai pegar um casaco para Sônia, que não para de espirrar. André, que já estava abrindo a janela pra ir embora, corre e se esconde debaixo da cama de novo. Sônia tenta controlar o nervosismo. Sílvio diz a Diana/ Tião que se a chuva não parar, ele a/o leva em casa. Diana troca um olhar preocupado com Guilherme. Célia diz a Karina que ela pode acabar perdendo Tito de vez. Tito e Filomena batem papo. Os bandidos tiram o capuz de Ari e o jogam para fora do carro, em uma rua deserta. Joca passa de carro e dá carona a Ari. Joca leva Ari à delegacia e pergunta a Marta que providências a polícia vai tomar. Preocupada com a demora do filho, Patrícia liga para André. O telefone de André toca e Ajuricaba comenta com Sônia que ouviu um barulho vindo do quarto dela. Ajuricaba está indo para o quarto da filha, quando seu telefone toca na sala. Ele volta para atender. Marta conta o que aconteceu com Ari e Ajuricaba segue para a delegacia. Bruno fica preocupado ao ouvir de Karina que ela e Tito ainda vão ser muito felizes juntos. Tito e Filomena se olham. Tito a puxa para si e a beija. Antes de ir embora, André diz a Sônia que a ama. Os dois se beijam. Ajuricaba obriga Joca a ir embora da delegacia. Ellen conta a Sílvio que Flores está quase conseguindo a liminar interrompendo as obras do resort. Guilherme avisa aos pais que Tião/Diana vai dormir lá por causa da chuva. Tito para o carro em um lugar deserto. Ele diz a Filomena que eles devem que viver o momento, sem pensar no futuro. Os dois se beijam e ele começa a tirar a blusa dela. Ari presta depoimento. Joca conta sobre o sequestro de Ari para Lincon. Logo depois de acabar de transar com Filomena, Tito se mostra distante. Filomena fica decepcionada.

QUINTA 17/06
Lincon manda o diagramador abrir espaço para duas fotos na primeira página. Sílvio e Ellen dizem que acham Diana/Tião estranho. Guilherme pede para Diana tirar o boné para ele ver como ela é de verdade. Carmem fotografa Ari saindo da delegacia. Ajuricaba tenta pegar a câmera de Carmem, mas ela consegue escapar. Léia conta a Joca que Arminda queria demitir funcionários da equipe de Bruno, mas não conseguiu. Querêncio está muito nervoso, porque já é tarde e Filomena não chegou em casa. Filomena chega toda feliz e o tranquiliza. Diana sai sem se despedir de Guilherme, que ainda dorme. Bill surge diante de Diana, que leva um susto. Ela dá uma ameixa para ele e corre para sua barraca. Karina fala para Célia que teve um sonho ruim com Tito e que ele não lhe telefonou. A patricinha pede para a mãe ficar na loja, porque ela precisa resolver assuntos pessoais. Ajuricaba fica furioso ao ler a manchete do jornal de Lincon. Ari mostra ao senador Érico a foto dele ao lado de Ajuricaba estampada no jornal. Érico comenta com o prefeito que dá para ver nitidamente que ele estava com a cueca cheia de dinheiro. O senador afirma que os bandidos tem um objetivo político. Clorís e Karina se cumprimentam e disfarçam a antipatia. Clorís pergunta a Karina se a conversa dela e de Tito na noite da tempestade foi produtiva. Karina fica intrigada. Karina abraça e beija Tito mesmo assim. Filomena conta a Carmem sobre o que aconteceu entre ela e Tito. Ari fala ao senador Érico que vai juntar o pessoal assim que chegar à prefeitura. Flores recebe uma ligação misteriosa e combina um encontro. Karina pergunta para Tito onde ele foi na noite anterior. Nicolau encontra Flores no meio de uma floresta e confessa ao professor que decidiu matar o pai, o senador Érico.

SEXTA 18/06
Karina insiste em saber onde Tito foi na noite anterior. Tito enrola para responder e acaba dizendo que saiu com Sílvio. Tito diz a Karina que o rompimento mexeu com ele e que, por isso, prefere não transar com ela. Filomena, ainda sem acreditar no que aconteceu entre ela e Tito, conta a Carmem que está apaixonada. Carmem aconselha a amiga a ir com calma. Flores fala para Nicolau que ele não é uma pessoa comum e que só homens fortes podem tomar a decisão de matar o pai. O professor deixa claro que, se Nicolau quiser mesmo ajudá-lo em seus planos, tem que se comprometer com ele. Flores afirma que vale qualquer sacrifício para fazer uma revolução. Nicolau se diz surpreso com a imagem de intelectual sensato que Flores mantém. Érico diz a Beatriz que ainda não está convencido de que Nicolau mudou. Ari fica furioso ao ver que o caso do sequestro já está na internet. Érico diz, diante de vários correligionários, que a cidade de Ribeirão do Tempo não vai se deixar humilhar. Bruno propõe que seja redigida uma nota de protesto contra a violência dos sequestradores. Teixeira fala para Eleonora que os sequestros estão tendo uma enorme repercussão. O advogado tenta convencer Eleonora a repensar as estratégias, mas ela afirma que vai prosseguir, aconteça o que acontecer. André vê Sônia no colégio e diz que está com saudades. Mais tarde, os dois se encontram no beco onde Joca coloca suas escutas e são flagrados pelo detetive. Os dois vão embora assustados. Tito revela a Sílvio que transou com Filomena e teve a certeza de que Karina é a mulher de sua vida. Flores vai até a casa de Joca e Léia o recebe. O professor conta que Joca tem se mostrado um profissional muito competente e pede para Léia avisar ao filho para ir ao seu casarão no dia seguinte. Joca pede para Diana/Tião entregar uma edição da Folha da Corredeira para Arminda e, em troca, oferece um trocado a ela. Arminda lê a notícia do sequestro e vê o nome de Joca grifado em vermelho. Ela olha da janela e vê Joca na praça, acenando. Joca liga para Arminda e pergunta se ela se convenceu de que ele não é um “joão ninguém”. Ela bate com o telefone na cara do detetive. Flores diz a Nicolau que ele tem que agir com cuidado, pois vai cometer um crime. Marisa aconselha Heleninha a fazer greve de sexo até o senador dar o que prometeu a ela: uma casa. Nicolau conta a Flores que o senador mantém um caso com Heleninha há um bom tempo. Diana conta a Guilherme que encontrou Bill na floresta e ficou com medo. Lincon comemora a vendagem do jornal. Nicolau vai até o escritório de Arminda e a convida pra jantar.

Comentários encerrados.

Parceiros