SEGUNDA 12/07
Eleonora pede para Arminda representá-la no velório do senador. Lincon pede para Ellen encontrá-lo na Folha da Corredeira. Sílvio diz a Guilherme que Zuleide ligou para dizer que ele estava na praça com Tião. Guilherme fala para o pai que Tião/Diana não tem nada demais. Três mulheres choram muito diante do caixão do senador. Beatriz fica irritada e pergunta a Nicolau quem são as mulheres. Lincon conta a Ellen que uma mensagem foi enviada da Secretaria de Segurança do Estado, ameaçando o senador de morte. Lincon mostra a Carmem e a Ellen o manifesto no computador. O jornalista explica que provavelmente foi um policial de alta patente que mandou a mensagem. Ajuricaba interroga Joca, que afirma que descobriu coisas importantes, mas ressalta que só pode revelar a seu cliente. O delegado pergunta a Joca o que ele fez na noite em que Heleninha e Érico foram mortos. Léia diz a Ventania que precisa da ajuda dele para tirar Joca da cadeia. Lincon e Ellen mostram o manifesto ao professor Flores e dizem que quem o descobriu foi Joca. Flores aconselha Lincon a publicar o manifesto, esclarecendo as circunstâncias em que foi obtido. Arminda conversa com Nicolau e Lílian fica furiosa. Teixeira e Célia trocam discretos sorrisos no velório do senador. O guarda conta a Alfredo que o assassino do senador foi pego em flagrante. Alfredo fica chocado ao ouvir que foi Joca quem matou o senador e espalha a notícia pela cidade. Marisa fica preocupada, pois foi ela quem deu a chave da casa de Heleninha para Joca. Joca conta a Ajuricaba que na noite do crime estava com dor de cotovelo no Agito Colonial e que Filomena é testemunha disso. Ventania diz a Ajuricaba que não há nada que o impeça de falar com Joca. Léia e Ventania conseguem falar com Joca. O advogado afirma que vai entrar com um pedido de habeas corpus. Em discurso, Nicolau diz que exige que a polícia cumpra seu dever. Lincon fala pra Ellen que a foto que fez do crime correu o Brasil. Eleonora vai até o local, onde está o túmulo de Heleninha, e joga um ramo de flores para o espanto geral. Lincon pede para Ajuricaba apresentar o suspeito à imprensa. Célia convida Teixeira para jantar em sua casa. Uma das três viúvas explode em pranto. Beatriz joga um buquê em cima da viúva e as três vão embora, apavoradas. Arminda pergunta a Tião/Diana se Joca foi mesmo preso. Diana/Tião diz que sim e ressalta que Joca gosta muito de Arminda.

TERÇA 13/07
Ajuricaba apresenta Joca à imprensa como suspeito de ter assassinado Érico para evitar especulações. Lincon faz uma pergunta a Joca e o delegado dá ordens para o guarda levar o detetive de volta para a cela. Newton pede a Zuleide para liberar Carlos para fazer trilha com ele no fim de semana. Os dois discutem e Zuleide diz ao ex-marido que agora percebe que ele se casou com ela para esquecer Ellen. Iara conta a Tito que dois grupos suspenderam as reservas na pousada. Tito fica preocupado. Célia arruma a mesa do jantar. Clorís diz a Tito que ele tem demorado a pagar as parcelas da dívida. Os dois discutem. Sílvio chega em casa e não dá muita atenção a Ellen, que fica frustrada. Teixeira propõe um brinde à beleza das mulheres de Ribeirão. Ele e Célia trocam olhares discretos. Bruno vai atender um telefonema do prefeito enquanto rola um clima entre Célia e Teixeira. Flores fala com um amigo ao telefone que não está traindo os ideais deles e o convida para uma conversa em sua casa. Lincon diz a Carmem que ela está mudada. Marta leva um exemplar da Folha da Corredeira para Ajuricaba, que fica furioso. Teixeira lê para Arminda as manchetes do jornal, que dizem que o senador foi vítima de uma conspiração descoberta por um detetive particular. Ajuricaba vai até a casa de Lincon e pergunta como ele conseguiu todas as informações que publicou. O jornalista não conta, alegando sigilo profissional. Nicolau fala para Beatriz, Larissa e Lílian que esse papo de conspiração política é para desviar atenção e livrar a cara de Joca. Diana/Tião diz a Arminda que Joca é um herói. Arminda escreve com batom uma palavra em um lenço de papel e pede pra Tião/Diana entregar a Joca. Diana/Tião pede a Guilherme para entregar o bilhete para Joca e afirma que não faz o serviço porque quer distância da delegacia.

QUARTA 14/07
Arminda lembra da noite em que transou com Joca e fica irritada. O chefe da polícia liga para Ajuricaba e cobra providências dele. Sílvio comenta com Newton que sentiu cheiro de queimado dentro da aeronave. Newton diz que deu uma geral no equipamento e viu que está tudo perfeito. Carmem pergunta a Ellen até que ponto uma mulher deve ir para conquistar um homem. Ellen estranha a pergunta e revela que seu casamento está um marasmo. Ajuricaba conta para Marta que estão achando que foi ele quem deixou vazar o manifesto. Ajuricaba manda Marta verificar a mensagem que Guilherme quer entregar para Joca. Marta avisa que não há nada perigoso. Joca recebe o bilhete e lê o que está escrito: ” parabéns “. O detetive fica feliz ao saber que foi Arminda que mandou. Arminda se arrepende da atitude que teve. Eleonora conta a Teixeira que vai ser feita uma audiência pública sobre o impacto de seu empreendimento na cidade. Teixeira explica para Eleonora que em sua investigação concluiu que o filho dela, se for vivo, está em Ribeirão do Tempo. Querêncio consola Marisa, que está abatida com a morte de Heleninha. Querêncio pergunta a Marisa se ela quer se casar com ele. Ela afirma que no dia em que ele parar de beber, ela aceita o pedido. Eleonora pede para Teixeira retomar a busca ao seu filho. Célia conta a Karina que o jantar foi ótimo. Virgílio pergunta a Iara se ela já fez a retirada do dinheiro para ele. Tito pede para Virgílio resolver algumas pendências burocráticas. André e Sônia se encontram em uma rua pouco movimentada. Sônia diz a André que se o pai dela descobrir que eles estão juntos vai ser um desastre. André afirma que não vai desistir dela nunca. Patrícia conta ao filho que vai à São Paulo resolver alguns assuntos. Sereno explica a Flores que foi fácil invadir a rede da secretaria de segurança e disparar a mensagem. Joca liga para Arminda e diz que ficou feliz por ter recebido o bilhete dela. Ele fala com intimidade com ela, que o corta. Virgílio vai ao cartório e revela a Nasinho que se Tito o ouvisse, a pousada iria melhor. Nasinho vê Diana, corre atrás dela, mas ela consegue fugir. Arminda pergunta para Diana se ela estuda e onde ela mora. Diana não responde e sai apressada.

QUINTA 15/07
Teixeira liga para Célia, agradece pelo jantar e confessa que queria ouvir a voz dela. Célia diz que ele pode ligar quando quiser, pois à tarde Bruno está sempre trabalhando. Joca esclarece diante de Ajuricaba, Marta, Ventania e do promotor que passou o pendrive para Lincon através de uma brecha que havia na tela da grade da cela. Flores vai até a casa de Joca e pergunta à Léia se ela está precisando de alguma ajuda financeira. O professor deixa parte dos honorários de Joca com ela. Léia e Flores tomam café. De repente, o professor tasca um beijo na viúva. Léia fica atordoada e pede para o professor ir embora. Eleonora, Arminda, Bruno, Teixeira e dois advogados reúnem-se pra discutir sobre a ação que Flores está movendo contra o resort. Arminda afirma que vai pensar em alguma medida para calar a secretária do meio ambiente, Ellen. Páraquedistas saltam do avião e Diana olha maravilhada. Guilherme explica a Diana que dizem que Bill descobriu um segredo que pode acabar com a cidade de Ribeirão do Tempo. Nasinho conta a Nicolau que percebeu que Virgílio não gosta de Tito. Nicolau pede para Nasinho se aproximar de Virgílio. André liga para Sônia e avisa que sua mãe foi para São Paulo e seu pai vai trabalhar até tarde. Sônia confessa que acha arriscado ir para a casa dele. Ajuricaba conta a Léia que a Polícia Federal vai investigar o caso de Joca. O detetive tranquiliza a mãe e afirma que Ventania garantiu que o habbeas corpus está prestes a sair. André recebe Sônia animadíssimo. Lincon mostra para Carmem o e-mail que um jornalista inglês enviou o parabenizando pela reportagem. Lincon e Carmem vão ao Agito Colonial para comemorar. André e Sônia transam. Guilherme convida Diana para jantar em sua casa. Zuleide diz a Carlos que não vai liberá-lo para ir com o pai fazer a caminhada. Carlos afirma que se um juiz lhe perguntasse com quem ele gostaria de ficar, ele pediria para ficar com o pai. Zuleide fica nervosa. Carmem e Lincon brindam e bebem chope. Léia revela a Sancha que levou uma cantada do professor Flores. No computador, Flores continua escrevendo seu diário revolucionário. Guilherme acompanha Diana até a barraca. Rola um clima de carinho entre os dois. Guilherme a beija suavemente.

SEXTA 16/07
Diana chama Guilherme de maluco. Guilherme confessa que faz tempo que está a fim dela. Diana o manda embora. Lincon leva Carmem em casa. O jornalista diz à estagiária que ela está fazendo com que ele reviva emoções antigas da juventude. Marta avisa a Joca que há visita para ele. Ajuricaba conta a Joca que Ventania está bêbado e, por isso, não estará presente na conversa dele com os dois homens do Serviço Secreto. Lincon chega em casa e Sônia e André acordam. André tenta distrair o pai, que fala sem parar sobre a felicidade de ver Ajuricaba se enrolando nas investigações. Sônia liga para Virgínia e diz que está na casa de uma amiga terminando de fazer um trabalho. Ajuricaba fala para Virgínia que Sônia está escondendo alguma coisa deles. Sônia chega, diz aos pais que estava fazendo trabalho na casa de uma amiga e fica enfurecida por Ajuricaba estar desconfiando dela. Nicolau entra na casa de Flores pelos fundos para evitar que alguém o veja. O professor explica a Nicolau que ele deve se posicionar a favor de Joca e contra a conspiração. Diana sonha que está vestida de menina, andando de mãos dadas com Guilherme e é reconhecida por um guarda. Ela acorda assustada. Guilherme pergunta a Ellen como dá para saber se uma mulher está afim de um cara. Ela responde que é uma questão complexa, mas garante que dá para saber ao olhar nos olhos dela. Flores convida Clorís para ir à sua casa à tarde. Carmem conta para Filomena que Lincon demonstrou claramente que está afim dela. Em entrevista à Folha da Corredeira, Joca revela que os homens do Serviço Secreto acreditam que o manifesto foi inventado por alguém e por um hacker. Lincon diz a Joca que vai lançar uma campanha nacional pela libertação dele. Arminda pede para Ellen dar a oportunidade de ela mostrar que o resort vai trazer benefícios para a cidade. Ellen afirma que para não haver mal-entendidos acha melhor elas exporem suas posições na audiência pública. Teixeira e Eleonora observam Lincon caminhando pela praça e planejam o sequestro dele.

Comentários encerrados.

Parceiros