SEGUNDA 5/07
Lincon pega uma câmera fotográfica e caminha devagar em direção à casa. Alfredo Lorota conta para moradores que foi o prefeito quem descobriu o desaparecimento do senador. Ajuricaba e Ari entram no quarto, onde estão os corpos de Érico e Heleninha. Lincon entra no quarto e fica perplexo com o que vê. Por fim, o jornalista fotografa a cena. Ajuricaba tenta pegar a câmera de Lincon, mas não consegue. Ajuricaba e Ari vão à fazenda dar a notícia do assassinato de Érico à família dele. Lincon conta ao pessoal do jornal que o senador Érico foi assassinado. Furiosa, Beatriz acusa Ari de estar envolvida no assassinato do marido. Beatriz diz ao delegado que quer ir ao local do crime. Ajuricaba pede para Nicolau tentar impedir a mãe de ver a cena do crime, mas ele afirma que quando Beatriz cisma não tem jeito. Léia fala para Joca que Lincon deve ter alguma notícia quente, pois entrou com tudo na redação do jornal. Lincon mostra para todos, inclusive a Joca, as fotos de Érico e Heleninha mortos. Iara diz a Virgílio que não vai tolerar mais a violência dele. Virgílio fica irritado e a chantageia. Sílvio conta a Iara, Tito, Clorís, Newton e Virgílio que Érico foi assassinado. Tito afirma que esse crime afeta diretamente a pousada e lembra que com a morte do senador, Nicolau vai ficar a frente dos negócios da fazenda. Arminda fala para Teixeira e Eleonora que o assassinato do senador pode afetar a imagem do resort. Flores conta a Joca que não tem a menor dúvida de que foram os envolvidos na conspiração que mataram o senador. Flores aconselha Joca a investigar Heleninha, já que ninguém vai fazer isso. Nicolau conta a Beatriz que Érico estava com uma mulher, que também foi encontrada morta. Beatriz não tem qualquer reação. Beatriz olha a fachada da casa e conta a Nicolau que o imóvel pertenceu à irmã de Érico. Zuleide convida Karina para um chope em comemoração à separação dela e de Newton. Beatriz desmaia ao ver Érico e Heleninha mortos. Peritos trabalham no local. Lílian liga para Ari e diz que Beatriz quer que ele vá até a casa dela.

TERÇA 6/07
Querêncio, Marisa e Esculápio pedem para ver Heleninha, mas Marta afirma que não é possível, pois a perícia está trabalhando. Nicolau liga para Flores e diz que está tenso. Flores afirma que nenhum sentimento será capaz de destruir o que ele fizeram. Lincon mostra ao pessoal do jornal a primeira página da Folha da Corredeira em que está estampada a foto de Érico e Heleninha mortos. Beatriz diz a Ari que quer que ele proíba que Heleninha seja enterrada em Ribeirão do Tempo. Ari fala para Beatriz que tem que cumprir a lei. Arminda vê a movimentação na praça e pergunta a Joca o que está acontecendo. Ele a chama de louca e afirma que vai descobrir quem está por trás dos crimes. Ari manda Virgínia convocar uma reunião imediatamente. Lílian pede para Nicolau convencer Beatriz de que o que ela pediu é impossível. Diana vende exemplares da Folha da Corredeira pela Praça do Enforcado. Joca conta a Léia que Flores o contratou pra investigar a morte do senador. Sônia e André marcam de se encontrar na casa dele mais tarde, pois Patrícia e Lincon vão trabalhar. Ari, reunido com o comitê do partido, explica que Beatriz não quer que Heleninha seja enterrada em Ribeirão. Eleonora encerra o expediente devido ao assassinato do senador. Sônia vai até a casa de André e os dois se beijam apaixonados. Bruno fala que o melhor a fazer é convencer as pessoas ligadas a Heleninha a enterrá-la em Cabreira. Ari vai à boate e convence Marisa a enterrar o corpo de Heleninha em outra cidade. Karina provoca Filomena e força uma barra para ela comemorar as bodas de descasamento de Zuleide. Newton espera Sílvio e Tito na casa do piloto e acaba se declarando para Ellen. Teixeira diz a Eleonora que com toda essa confusão a busca deles terá que esperar. Eleonora revela ao advogado que foi garota de programa. Ela conta toda sua história para Teixeira. Joca oferece seus serviços de detetive a Marisa, que afirma que não tem como pagá-lo. Joca diz que ela só precisa ajudá-lo no que for preciso. Marisa dá o endereço e as chaves da casa de Heleninha para Joca. Querêncio fala para Marisa que eles têm que convocar o povo para reivindicar a ordem de Beatriz. Karina propõe que Filomena brinde com ela ao amor verdadeiro. Filó fica constrangida. O povo se reúne na praça pra ouvir o que Querêncio tem a dizer.

QUARTA 7/07
Karina joga indiretas para Filomena, que fica constrangida. Filomena vai ao banheiro chorar e Karina fala para ela não chegar perto de Tito. Sônia e André estão no maior amasso, quando Sérgio – um amigo de André – liga. Sérgio avisa que está tendo um comício na praça e André sai. Ajuricaba liga para Nicolau para tentar fazer um acordo com ele, mas nada consegue. Querêncio discursa e o povo aplaude. Ajuricaba chega à praça com um guarda. O delegado manda prender Querêncio. Flores pergunta a Ajuricaba se os tempos da ditadura voltaram. André puxa a palavra de ordem e é seguido por todos. Joca entra na casa de Heleninha, enquanto Léia fica vigiando do lado de fora. Ajuricaba solta Querêncio e encara André, que continua protestando. A Comissão do Senado vai até a fazenda de Érico prestar solidariedade. Nicolau, falsamente, contém a ira. Doutor Branquinho, representante do Governo do Estado, afirma a Nicolau que o crime não vai ficar impune. Joca examina tudo o que encontra na casa de Heleninha. Nicolau agradece a todos os políticos o apoio. Beatriz diz a Branquinho que Érico morreu sozinho. Ajuricaba liga para Nicolau, fala que está difícil conter o povo e ressalta que Doutor Flores fez um discurso apoiando a manifestação. Nicolau disfarça a surpresa. Ajuricaba diz a Nicolau que não será possível satisfazer a vontade de Beatriz. Comandados por André, estudantes protestam. Zuleide vê Carlos no meio da multidão e o obriga a ir para casa. Ela vê Tião e pergunta onde está a mãe dele, mas Diana/Tião não responde e sai. Nasinho vê Bill e vai atrás dele com dois amigos. Bill foge. Nasinho persegue o ermitão e é detido por Diana, que coloca um cabo de vassoura no caminho e o faz tropeçar. Nasinho fica irritado e promete se vingar de Tião/Diana. Bill some no escuro. Marta fala para Ajuricaba que eles têm que botar foco em cima da investigação. Marta diz ao delegado que eles precisam dar uma olhada na casa de Heleninha. De início, Ajuricaba não concorda, mas depois conclui que é preciso investigar o lado da dançarina. Joca está examinando o computador, quando surge uma tela, em que se lê “Conspiração Azul – Morte aos Traidores”. Joca copia o arquivo num pen drive. Nicolau explica a Beatriz que não foi possível impedir que o corpo de Heleninha seja enterrado em Ribeirão, pois o povo se manifestou a favor da prostituta. Léia vê um carro da polícia se aproximando, mas quando vai ligar para Joca percebe que a bateria do celular acabou. Marta e o guarda vêem a luz da lanterna de Joca dentro da casa de Heleninha. Ajuricaba pega um revólver e avisa a Marta e ao guarda que vai entrar no local. Léia assiste a tudo, sem ter o que fazer.

QUINTA 8/07
Joca se assusta ao ouvir ruído da porta se abrindo. Ajuricaba entra de arma em punho, e encara o detetive. Joca tenta fugir, mas é detido por um guarda. Ele explica que estava trabalhando, mas Ajuricaba afirma que ele está preso e que vai indiciá-lo por assassinato. Léia vê o filho sendo levado, sem poder fazer nada. Patrícia pede para Lincon ajudá-la a tirar André da manifestação, pois não quer ver o filho sendo preso. Lincon diz que o filho age por conta própria. André se recusa a ir para casa e Patrícia resolve ficar lá também. Arminda sonha com Joca e acorda assustada. Lincon chega à redação e observa Carmem, que acabou pegando no sono. Ajuricaba pergunta a Joca o que ele estava fazendo na casa de Heleninha. O detetive conta que estava investigando. O delegado manda o guarda levar Joca para cadeia. Léia conta a Sancha e Filomena que Joca foi preso. Flores explica a Nicolau que está saindo tudo como o planejado. Léia e Sancha vão até a delegacia, mas Marta diz que elas não podem ver Joca. Léia consegue falar com o filho pela janela da cela, onde ele está preso. Joca pede para Léia avisar a Doutor Flores que ele fez importantes descobertas. Bill deixa uma cesta com frutas e flores em frente à barraca de Diana/Tião. Ela olha para a floresta, não vê ninguém e pega a cesta, feliz. Morrendo de sono, Patrícia pede para André ir para casa. Marisa avisa ao povo que Heleninha será enterrada no mesmo cemitério que o senador. Flores manda Léia contar a Lincon o que está acontecendo com Joca. Léia vai com Lincon até à janela da cela, onde Joca está. Joca entrega o pendrive para o jornalista e fala para ele prestar atenção no remetente da mensagem. Uma equipe de TV grava o velório do senador. Beatriz chega ao salão e começa a soar uma marcha fúnebre orquestral. O povo presta homenagem a Heleninha na Praça do enforcado. Sancha conta a Romeu que Joca foi preso. Filó diz a Carmem que vai se vingar de Karina. Carmem conta a amiga que está a fim de Lincon. Lincon pluga o pendrive no computador e lê um texto assinado pela Conspiração azul. Ele fica atônito.

SEXTA 9/07
Eleonora pede para Arminda representá-la no velório do senador. Lincon pede para Ellen encontrá-lo na Folha da Corredeira. Sílvio diz a Guilherme que Zuleide ligou para dizer que ele estava na praça com Tião. Guilherme fala para o pai que Tião/Diana não tem nada demais. Três mulheres choram muito diante do caixão do senador. Beatriz fica irritada e pergunta a Nicolau quem são as mulheres. Lincon conta a Ellen que uma mensagem foi enviada da Secretaria de Segurança do Estado, ameaçando o senador de morte. Lincon mostra a Carmem e a Ellen o manifesto no computador. O jornalista explica que provavelmente foi um policial de alta patente que mandou a mensagem. Ajuricaba interroga Joca, que afirma que descobriu coisas importantes, mas ressalta que só pode revelar a seu cliente. O delegado pergunta a Joca o que ele fez na noite em que Heleninha e Érico foram mortos. Léia diz a Ventania que precisa da ajuda dele para tirar Joca da cadeia. Lincon e Ellen mostram o manifesto ao professor Flores e dizem que quem o descobriu foi Joca. Flores aconselha Lincon a publicar o manifesto, esclarecendo as circunstâncias em que foi obtido. Arminda conversa com Nicolau e Lílian fica furiosa. Teixeira e Célia trocam discretos sorrisos no velório do senador. O guarda conta a Alfredo que o assassino do senador foi pego em flagrante. Alfredo fica chocado ao ouvir que foi Joca quem matou o senador e espalha a notícia pela cidade. Marisa fica preocupada, pois foi ela quem deu a chave da casa de Heleninha para Joca. Joca conta a Ajuricaba que na noite do crime estava com dor de cotovelo no Agito Colonial e que Filomena é testemunha disso. Ventania diz a Ajuricaba que não há nada que o impeça de falar com Joca. Léia e Ventania conseguem falar com Joca. O advogado afirma que vai entrar com um pedido de habeas corpus. Em discurso, Nicolau diz que exige que a polícia cumpra seu dever. Lincon fala pra Ellen que a foto que fez do crime correu o Brasil. Eleonora vai até o local, onde está o túmulo de Heleninha, e joga um ramo de flores para o espanto geral. Lincon pede para Ajuricaba apresentar o suspeito à imprensa. Célia convida Teixeira para jantar em sua casa. Uma das três viúvas explode em pranto. Beatriz joga um buquê em cima da viúva e as três vão embora, apavoradas. Arminda pergunta a Tião/Diana se Joca foi mesmo preso. Diana/Tião diz que sim e ressalta que Joca gosta muito de Arminda.

Comentários encerrados.

Parceiros