TERÇA 18/01
Jidafe está no centro do povoado com mãos e pés amarrados. Abbas vai até Inarus e pede que Cário seja morto, mas o príncipe apenas pede que o mantenha preso. O comandante também deseja falar sobre Dalila. É quando Inarus a chama. Ele diz que a partir daquele dia, ela seria sua protegida. Sansão se reúne com Manoá e os anciãos da vila para discutirem o destino de Jidafe. Myra e Jana conversam sobre Aron até que Dalila entra na sala e diz ser a nova protegida do soberano. Ela reage satisfeita ao ver Jana sair sorrateiramente. Sansão e os anciãos decidem iniciar os julgamentos do povo. Jana caminha pela rua, enquanto Dalila a segue. Jana entra em uma casa bem simples. Dalila vai atrás e se surpreende ao ver um senhor bem idoso. É Aliã, pai de Jana. Ele estende a mão para Dalila e pergunta sobre seus pais. Ela diz que não tem e o senhor pergunta sobre a crença que tem em Deus. Yunet e Myra combinam de marcar um encontro com Aron na mesma hora para saber se ele mente. Jana explica que é hebreia e que tem medo que Abbas descubra. Dalila fica emocionada com a forma como Jana cuida de seu pai. Samara pede a Héber que a informe sobre o julgamento de Jidafe. Sansão julga os casos em seu povo, até que manda trazerem Jidafe. O julgamento se inicia. Os anciãos tentam impedir que Jidafe fale, mas Sansão permite que ele tente se defender. Abbas tortura Cário. Dalila caminha pelo jardim, até que chega num local onde Aron está junto de outros soldados. Ela pede para que o soldado a leve até Cário. Sansão se aproxima de Jidafe, diante da expectativa de todos. Ele anuncia que já tomou sua decisão. Sansão o absolve. Héber vai até Samara para contar-lhe o desfecho do julgamento. Ela fica feliz e se afasta. Héber ainda se declara, mas ela não ouve. Aron leva Dalila até a cela de Cario. Ele está muito machucado e ela cuida de seus ferimentos. Myra e Yunet estão tristes e descobrem que Aron não apareceu para o encontro com nenhuma das duas. Dalila passa por elas e se aproxima de Jana que está arrumando suas roupas. Dalila diz para Jana ficar, pois ela não a entregará. Myra e Yunet se aproximam. Dalila pede a ajuda de todas para salvar Cário. Sansão está em um momento de descontração com Gadi até que Jidafe chega. Ele pede perdão à Sansão, que aceita suas desculpas. Zilá está à beira da cama, rezando, sob o olhar carinhoso de Manoá. Ele parece fraco, como se seus olhos fossem fechar. Ele fala emocionado sobre Sansão. Manoá fecha os olhos, devagar e sua esposa fica desesperada. Inarus dá autorização à Abbas para que busque reforço em outros povoados para abaterem Sansão. Sansão está próximo ao pai. Zilá observa, chorando bastante. Manoá pede que sue filho liberte o povo hebreu das mãos dos inimigos filisteus. Sansão assente e logo em seguida, Manoá morre. Dalila e Jana procuram a feiticeira que deu o veneno para Tais. A mulher traz para Dalila um frasco com um líquido prometendo que o sofrimento acabará.

QUARTA 19/01
A feiticeira orienta Dalila para que misture o líquido na água. A pessoa entra em sono profundo. Só sol a desperta. Aron vai até a cela de Cário e acha que ele está morto. Depois, vê-se o corpo de Cário enrolado em um manto escuro perto do mar. O manto se abre e o jardineiro sente o sol em seu rosto. Quando abre os olhos, Dalila está sorrindo, olhando para ele. Abbas pergunta se Aron jogou o corpo de Cário no mar sem ser visto. O soldado assente. Cário fica na casa onde está hospedado Aliã. Jana cuida de seu pai. O homem pergunta novamente sobre os pais de Dalila e ela decide contar sua história. Sansão, Jidafe e outros homens carregam o ataúde de Manoá. Zilá e outras mulheres caminham na frente deles. Aron avisa para Myra e Yunet, em momentos diferentes, que está de partida para convocar homens para se aliarem ao exército filisteu. Zilá deixa uma última flor no local em que foi colocado o corpo de Manoá. Todos se retiram e Sansão agradece a seu pai pela honra de ser seu filho. Aliã aconselha Dalila. Pede que volte a seu povoado e faça as pazes com sua mãe. Sansão se encontra com Samanta e Héber e diz que fará o que seu pai pediu: visitará outros povos para libertar seu povo. Dalila chega até o palácio e avisa para Myra que visitará seu povoado. Uma semana depois, Dalila chega a Zorá e encontra sua mãe. Agar ainda resiste um pouco, mas pede desculpa à sua filha, que se emociona e a perdoa. Ela tenta convencer sua mãe a deixar o povoado. Dalila está de partida. Agar a adverte para que não fique deslumbrada com sua nova vida. Sansão avisa para sua mãe que está de partida. Ela não aprova e se afasta, triste. Sansão se despede de todos no povoado. Quando ele vai sair, Zilá o chama e o abençoa antes de sua partida. Abbas está satisfeito diante de Inarus. O exército que consegue reunir cresce mais a cada dia que passa. Os homens planejam ataque a todos os povoados hebreus à procura de Sansão. Sansão está dormindo na fenda de uma rocha no pé de uma montanha. Ele desperta e vê o Andarilho que o convida para ir até o povoado próximo. Sansão se nega a ir, pois decide conquistar a confiança do povo antes de se revelar. Aron se alarma ao ver o hebreu que não o avista. Yunet e as cortesãs estão ensaiando para seu número. Jana entra correndo na sala e diz que Inarus está chamando Myra. Dalila chega até a casa de Jana e fica feliz ao ver a saúde de Cário. Ela diz para Aliã que fez as pazes com sua mãe. O jardineiro avisa para Dalila que os príncipes filisteus já estão na cidade. Abbas fica alarmado diante de Aron ao saber da localização de Sansão. Sansão ajuda os moradores do povoado em suas atividades. Abbas ordena que o exército seja convocado para ir atrás do hebreu. Myra está diante de Inarus que está irritado com a demora de Dalila. Quando ele pensa na possibilidade da fuga de sua protegida, Dalila entra. Ela vai beijar o soberano, mas Abbas chega e anuncia que encontraram Sansão. Abbas marcha à frente do exército de mais de mil homens. Alguns homens de Judá avistam, ao longe, a chegada do exército.

QUINTA 20/01
Sansão está fazendo uma lança, quando chega o andarilho e o alerta sobre a chegada do exército. Criados servem os príncipes filisteus. Inarus pede que o príncipe de Ecrom apresente sua protegida. Ele aponta para uma mulher que se aproxima. É Tais. Abbas se dirige até um trabalhador e pergunta sobre Sansão. Ele fala ainda sobre sua fama de destruidor e por influência do comandante, o homem se afasta para reunir um exército que capture Sansão. O andarilho avisa para Sansão que ele terá de lutar contra seu próprio povo. Dalila e Tais se encaram. Myra e Yunet estão no local e ficam preocupadas com a volta de Tais. Inarus pede que Dalila se apresente para os convidados. Tais vai até Yunet e Myra e pergunta sobre Jana. Elas não sabem onde se encontra a cortesã. Jana cuida de seu pai que delira e passa muito mal. Sansão está em sua barraca quando chegam os homens de Judá. Eles dizem que para o bem de seu povo, devem entregar Sansão. Ele pede que os homens o amarrem e o levem vivo até os inimigos filisteus. Jana dá um último beijo em Aliã antes de sua morte. Héber trabalha e Samara se oferece para ajudá-lo. Héber é indiferente e não aceita. Diana chega para auxiliar Héber, deixando Samara surpresa. Sansão é levado pelos homens para junto dos filisteus. Abbas sorri satisfeito ao ver aquela cena. Os homens levam Sansão até que ele cai aos pés do comandante. Abbas o provoca e Sansão levanta arrebentando as cordas. Os soldados ficam alarmados e apontam suas espadas para Sansão. Abbas é sarcástico ao ver a arma de Sansão. Os soldados avançam sobre o hebreu que se defende. Sansão sofre muitos golpes, mas os soldados são derrotados um a um. Sansão derrota todos os soldados. Quando vai abater Abbas, ele recua e ordena que o comandante avise à Inarus que não atente mais contra os hebreus. Os homens se aproximam de Sansão e comemoram sua vitória. Sansão perde os sentidos e cai ao chão próximo a uma fenda na pedra. Sansão está exaurido e pede que Deus poupe sua vida. A fenda da pedra se abre e dela sai água. Sansão se aproxima e a bebe, emocionado, recobrando os sentidos. Sansão caminha, quando o Andarilho o alcança. Ele avisa que vai para Gaza. Dalila diz à Myra que vai sair para ir atrás de Jana. Myra mostra que já chegou ao palácio e Dalila fica sabendo da morte de Aliã. Jana quer ir embora, mas Dalila a convence para que fique um pouco mais. Tais conversa com Inarus. Ela o deixa intrigado ao dizer que Dalila está se envolvendo com o príncipe de Gate. Tais encontra Jana no palácio e pede sua ajuda para destruir Dalila. Se não colaborar ela ameaça revelar que Jana é hebreia. A festividade no palácio continua. Abbas entra completamente arrasado. Inarus fica estarrecido ao ouvir o relato de seu comandante. O soberano ordena que Sansão seja preso. Dalila ouve toda a conversa. As portas da entrada de Gaza estão abertas. Sansão aproveita uma caravana e passa sem ser visto pelos soldados.

SEXTA 21/01
Sansão caminha até chegar ao local das meretrizes. Ayla o seduz e o hebreu sucumbe à luxúria. O dia amanhece na cidade. Alguns homens circulam pelo mercado, entre eles, Bak. Ayla conversa com Sansão, que é frio. Ela vai fazer um carinho e sem querer deixa o manto de Sansão cair, revelando suas tranças. Bak presencia a tudo e pergunta à meretriz quem é aquele homem. Ela revela seu nome. Abbas entra em sua sala e encontra Tais. Ele a expulsa, mas ela insiste em ficar. Ela pede a ajuda do comandante para derrotar Dalila. Dalila entra no mar. Aron entra na sala de Abbas trazendo Bak pelo braço. O homem diz que Sansão está em Gaza. Pés descalços caminham na areia, até que param diante da roupa de Dalila. Quando as mãos pegam a roupa, pode-se ver que é Sansão. Sansão se esconde atrás de algumas pedras levando as roupas de Dalila. Bak diz à Abbas que viu Sansão e a meretriz que o acompanhou. Dalila sai da água e Sansão surge de trás da pedra assustando-a. Ele devolve as roupas e se vira para não ver Dalila. Quando se dá conta, Dalila já está distante. Ela deixa seu lenço cair e Sansão o apanha. Tais tenta colocar os príncipes uns contra os outros. Inarus ordena que Tais vá chamar Dalila. Myra fala sobre Aron, mas Dalila é direta ao dizer que ele se deita com outras cortesãs. Dalila conta sobre o homem que encontrou na praia. Tais entra e diz que o príncipe está chamando sua protegida. Yunet chega correndo e avisa que Sansão está na cidade. Samara fica incomodada ao ver Diana servindo água para Héber. Sansão se aproxima do palácio escondido. Yunet e Myra planejam ação contra Aron. Graças à influência de Tais, Inarus é frio com Dalila e a proíbe de se apresentar para os outros príncipes. O príncipe de Gate questiona a ordem de Inarus e os dois se encaram com ódio. Abbas conversa com Aron. Ele tem a ideia de pagar Bak para que ele reúna um exército popular que enfrente Sansão. Aron sai do palácio. Sansão observa, até que se aproxima de alguns soldados e luta com eles utilizando o lenço de Dalila. Sansão imobiliza um dos filisteus e ordena que o leve até o palácio. Inarus se aproxima do príncipe de Gate que questiona sua liderança. Ele saca sua espada e desafia Inarus. Sansão caminha carregando o soldado. Abbas vem andando e se depara com os dois. O comandante vai sacar sua espada, mas Sansão avança sobre ele e o segura. Sansão ordena que Abbas o leve até o tirano. Um criado entrega uma espada para Inárus. Os dois travam uma luta, até que Sansão invade o local e joga Abbas no chão. Aron vai até Bak e anuncia uma recompensa pela cabeça de Sansão. Abbas pega uma espada, mas Sansão o desarma. Inarus pede que o comandante deixe Sansão falar. O hebreu olha Inarus nos olhos e o tirano se sente incomodado. O povo de Sansão passa por dificuldades. O príncipe de Gaza pergunta a Sansão qual o motivo de sua presença. Sansão diz que deseja a libertação de seu povo. Inarus sugere um acordo de paz. Ele pede que as cortesãs se apresentem para o hebreu. As mulheres vão até ele, menos Dalila, que observa escondida.

Comentários encerrados.

Parceiros