TERÇA 4/01
Zilá e outras mulheres lavam roupa. Jidafe e outras crianças rasgam um pano e são repreendidos pela a mãe. Zilá os protege. A mulher briga com Zilá, alegando que ela não tem filhos. Manoá tenta consolar a mulher. Uma caravana de hebreus passa. Perto dali, soldados filisteus marcham. Manoá se assusta ao ver um maltrapilho. Triste, Zilá vê ao longe a silhueta de um homem de túnica e cajado nas mãos. O Mensageiro diz para Zilá que ela terá um filho e jamais poderá passar a navalha na cabeça do menino, pois ele será um nazireu que vai livrar o povo hebreu das mãos dos inimigos filisteus. Manoá alerta a todos sobre a chegada dos filisteus, que atacam o povoado. Zilá conta ao marido sobre o Mensageiro e a promessa de um filho que libertará seu povo. O Mensageiro fica diante de Manoá e Zilá. Ele relembra Zilá sobre o que ela não pode comer. Ouve-se o choro de uma criança. Após uma passagem de tempo, vê-se uma senhora com uma criança que acabara de nascer. Manoá pega o bebê e se aproxima de Zilá. O casal anuncia que seu filho se chamará Sansão. Alguns anos depois, vê-se Sansão, Héber, Jidafe e outros garotos brincando no trigal. Eles se deparam com um soldado filisteu. A mãe de Jidafe chega e manda as crianças fugirem. Eles vêem outro soldado matá-la. Sansão e Héber conseguem fugir e contam o fato aos pais. De longe, eles observam o ataque dos soldados filisteus. Sansão se esconde. Ele conversa com Zilá, que diz que o sofrimento está para acabar porque o povo será liberto pelo rapaz. Sansão se levanta da mesa assustado. Zilá o segue e diz que o Mensageiro ordenou que seus cabelos jamais sejam cortados e que ele não pode revelar a fonte de sua força. Há nova passagem de tempo. Sansão e Héber caminham pelo povoado e são observados por garotas. Sansão se exibe para as moças enquanto Manoá olha com ares de reprovação. Ele aconselha o filho a procurar uma mulher que realmente toque seu coração, em vez de se exibir para todas. Longe dali, num riacho, Dalila se banha. Em sua casa, Rudiju é grosseiro com Agar e pergunta à mulher sobre a enteada, já que ela não está ajudando na limpeza do pescado. Rudiju sai para buscar a jovem. Dalila, distraída no rio, depara-se com o padrasto. Ele vê os colares feitos pela enteada e pensa em vendê-los na feira de Timna. Dalila vai embora e Rudiju a olha de forma maliciosa. A jovem comenta com Myra sobre o comportamento de seu padrasto e é aconselhada a sair de seu vilarejo e ir para Timna. Em seu povoado, Sansão também fala com Héber que quer ir para Timna. Como o amigo se nega a acompanhá-lo, por medo dos filisteus, Sansão o carrega no ombro. Em Timna, o príncipe Inárus encontra Abbas, comandante do exército, que dá ordens para que os soldados invadam mais um vilarejo. Hannah, a chefe das cortesãs, passa e ele a puxa. Faruk se aproxima de seu comandante e recebe a ordem de invadir e dominar a região da tribo de Dã, onde mora Sansão. Enquanto isso, na feira de Timna, soldados filisteus passam por Sansão e Héber, que estão disfarçados com mantos. Myra e Dalila também chegam ali e começam a dançar, sob os olhares de Zaira. Sansão se aproxima do grupo de mulheres onde está Dalila, mas um cavalo relincha, assustando a todos. Aron avança sobre a multidão, que se dispersa. Assustada, Dalila corre, mas Myra fica imóvel olhando para o soldado. Sansão vê Ieda, uma filisteia, caída no chão. Ele sai para ajudá-la. Sansão a levanta e Ama também a ampara. Depois de toda a correria, Myra comenta com Dalila sobre seu encantamento com Aron. Zaira se aproxima delas, acompanhada de duas meretrizes, que começam a dançar. Dalila fica hipnotizada e vê um homem presentear uma das mulheres. Zaira percebe o interesse de Dalila e a sonda. Confusa com a possibilidade de ter um bom futuro ali, Dalila decide não aceitar o convite e puxa Myra. Rudiju sai à procura de Dalila e agride Agar. Jidafe discute com Manoá e diz que Sansão está virando as costas para seu povo. No templo de Dagom, um sacerdote filisteu faz um ritual diante de Faruk e centenas de soldados. Ele passa seu dedo na testa de Faruk, marcando-a com a cinzas e diz que o príncipe deve espalhá-las sobre sua tropa. Um forte vento faz com que as cinzas voem e se espalhem na direção contrária. Manoá e Zilá se revoltam porque Sansão comentou seu interesse por uma filisteia. A caminho do povoado de Sansão, Faruk comanda os soldados filisteus. De volta à sua casa, Dalila encontra Rudiju, que a questiona sobre seu paradeiro. Ele beija o pescoço da enteada, até que Agar chega. Dalila se queixa com a mãe, dizendo que o padrasto sempre a perseguiu. Agar culpa Dalila por se insinuar. Ela reage e a mãe sai. Em Timna, Simas festeja ao saber que Faruk foi escolhido para comandar o exército de Inárus. Sansão conversa com Samara, que lhe pergunta sobre seu interesse por uma filisteia. Dalila senta às margens de um rio e é observada por Rudiju. Samara comenta com Sansão sobre os problemas que ele terá ao se relacionar com uma mulher do povo inimigo. Rudiju, bêbado, toca o ombro de Dalila e a segura com força. Samara se depara com o exército de Faruk. Dois soldados a agarram. Faruk pergunta de onde ela vem. Sansão aparece. Rudiju faz carinho em Dalila e a beija. Sansão luta com os dois soldados. Faruk faz sinal para que ninguém se intrometa. Sansão derrota os dois soldados e ordena que os inimigos partam. Faruk aplaude, debochado. Sansão manda Samara fugir e avisar a todos sobre o perigo. Samara corre. Sansão e Faruk se encaram. Dalila tenta se desvencilhar de Rudiju. Ela dá um golpe no padrasto, mas é puxada por ele, que rasga sua roupa. Dalila corre pela margem do rio e Rudiju vai atrás. Samara entra esbaforida na casa de Manoá. Ela conta que os filisteus estão invadindo o povoado e que Sansão está tentando detê-los. Todos correm. Sansão e Faruk ainda se encaram e os soldados cercam Sansão. Ele é atacado por dezenas de homens, mas luta contra todos. Dalila ainda corre seguida por Rudiju. Ela tropeça, cai e é puxada pelos cabelos pelo padrasto. Sansão ainda luta com os soldados filisteus. Zilá, Manoá, Héber, Samara e Jidafe chegam e observam. Zilá fica perplexa ao ver Sansão vencer os soldados. Após matar todos os inimigos, Sansão encara Faruk. Os hebreus observam atentos. Faruk saca sua espada. Sansão o desafia.

QUARTA 5/01
Sansão e Faruk se encaram diante da expectativa do povo hebreu. Faruk avança sobre Sansão. Rudiju joga Dalila no chão e deita sobre ela. Ele a beija e tenta agarrá-la à força. Ela alcança um galho e bate em Rudiju, que a solta. Dalila se afasta e corre, deixando Rudiju para trás. Dalila corre para o interior da casa quando se depara com Rudiju, que fecha a portai. Sansão pega a espada de seu oponente e a quebra, com as mãos. Faruk reage atordoado, mas Sansão avança sobre ele e o levanta pelo pescoço. Sansão ordena que Faruk retorne e avise ao príncipe que nunca mais atente contra aquele povo. Sansão o joga no chão. Faruk diz que Sansão irá se arrepender de não tê-lo matado. Homens e mulheres vão até Sansão, eufóricos. Zilá e Manoá observam emocionados. Sansão é aclamado pelo povo. Em um vale próximo ao rio, Dalila caminha chorando. Ela se aproxima de uma pequena carroça e pede que o homem a leve para longe. Já em Timna, Dalila caminha exausta. Está perdida naquele local. É quando ela vê Zaira que mais uma vez oferece uma chance para Dalila. Depois de pensar um pouco, Dalila aceita. Sansão fala com Héber sobre Ieda e a vontade de reencontrá-la. Héber relembra a luta contra Faruk e o receio de uma possível vingança. Faruk está exaltado diante do comandante Abba, que está furioso com a derrota. Zaira coloca brincos e pulseiras em Dalila. Zaira aconselha a Dalila a conquistar Inarus. Agar faz comida quando ouve um barulho no interior da casa e pede que Myra vá embora. Rudiju reclama pela demora de Dalila em voltar para casa. Agar diz que sua filha não voltará e fala que sabe o que ele fez contra Dalila. Rudiju avança sobre Agar. Myra presencia tudo. Os homens do povoado falam sobre a necessidade de uma liderança para seu povo. Jidafe lembra sobre a confiança que Sansão ganhou após o combate e acha que ele deve ser o líder. Faruk diz para Simas que só pode entregar sua filha a alguém que possa defendê-la. Judi, a filha mais nova de Simas, observa escondida. Simas se afasta e Faruk se depara com Judi. A jovem o provoca. Um enorme bloco de pedra é erguido por muitos homens. Sansão passa pelo local e caminha em direção à feira e avista Ieda numa barraca de tecidos. Sansão olha para Ieda com interesse. Dalila fica insegura com a presença dos soldados e príncipes. Os movimentos de Dalila crescem, num belo número de dança, e os homens se encantam. Ieda se distrai com o comerciante e não vê mais Sansão. Alguém a puxa para trás de uma barraca. É Sansão. Ele quer saber seu nome, mas quando vai revelá-lo, passa um comerciante anunciando a chegada dos fiscais do príncipe. Ieda corre nervosa, enquanto outros homens aproveitam para saquear as mercadorias das barracas. Os trabalhadores da construção sentem a estrutura de madeira ranger, balançando o grande bloco. Ieda está na mira da pedra, que despenca. Sansão segura o enorme bloco de pedras sobre sua cabeça. Ela agradece a Sansão e o abraça em seguida. Sansão percebe os olhares voltados para sua direção e se afasta. É quando ela diz que se chama Ieda. Sansão vai embora, mas promete que voltará para encontrá-la. Dalila está com outras mulheres quando Zaira entra. Dalila vê os pés de Inárus, que se aproxima de Zaira e lhe dá uma bela jóia. Quando o soberano passa por Zaira, Dalila abaixa o olhar novamente. Ela vê a mão, com o grande anel, levantar seu rosto. Hannah entra numa sala onde estão as meretrizes e pede a atenção de todas. Hannah vê Dalila e a analisa. Hannah se apresenta como chefe das cortesãs. Sansão caminha por Timna e se detém quando vê Ieda. Faruk parece nervoso diante de Judi. Ela questiona o que sua irmã poderia fazer na feira além de compras. Dalila arruma suas acomodações, observada pelas cortesãs Tais, Jana e Yunet. Tais caminha em direção à Dalila e lhe dá as boas vindas com um sorriso cínico. Rudiju diz que vai até Gaza tentar negociar. De maneira rude ele diz que talvez deixe Agar. Em seguida ele sai, sob o olhar triste de sua esposa. Sansão puxa Ieda para trás de uma barraca e a surpreende com um beijo. Faruk procura Ieda. A Ama vê Faruk e se alarma. Sansão e Ieda se beijam e ele promete que a fará muito feliz. Ieda concorda e o chama de marido. Ama chega aflita, alarmando Ieda. Sansão quer conhecer Simas. Ama se assusta e Ieda percebe. Ela diz a seu amado que quer conversar com seu pai e pede que Sansão volte depois. Faruk avista e chama Ieda. O soldado as alcança e diz que irá acompanhar a moça até em casa. Ieda troca um olhar de preocupação com a Ama. Tais diz que não gostou de Dalila. Hannah pede que duas criadas levem Dalila para vesti-la de maneira adequada. Sansão diz a Zilá e Manoá que se casará com Ieda. Manoá e Zilá reagem perplexos. Simas fica surpreso com o relato de sua filha sobre um pretendente. Ieda sorri e diz que só pode contar que o homem é um danita e usa tranças. Simas não gosta da idéia de sua filha se casar com um hebreu. Dalila desembrulha um colar que ganhou. Zilá está ao lado de algumas mulheres, que fazem pães. Samara se aproxima. Héber chega com trigo e observa Samara. A moça está curiosa para saber se Sansão realmente irá se casar com uma filisteia. Zilá confirma. Samara se afasta chorando enquanto Héber a observa. Sansão está em casa, quando se prepara para partir. Manoá questiona o filho em sua decisão de se casar com uma filisteia. Ele adverte seu filho quanto ao perigo que seus sentimentos podem representar. Simas pede para que a filha traga Sansão. Ieda assente. Judi fica curiosa para saber o que está acontecendo. Ela sai de casa e conta a Faruk o que está acontecendo. O soldado fica furioso. Judi diz que não conhece o pretendente, apenas sabe que ele é hebreu. Ela propõe um duelo entre os dois, onde o vencedor ficaria com Ieda. Dalila caminha no jardim do palácio em Gaza enquanto Cário, o jardineiro, a observa. Tais humilha o jardineiro. Dalila se aproxima, mas Cário se afasta. Ela quer saber quem é aquele homem. Yunet diz seu nome, mas Tais o chama de monstro do jardim. Tais diz que sua cidade é bem movimentada. Dalila diz que gostaria conhecer a costa e é incentivada por Tais a sair mesmo sem a autorização de Hannah. Dalila decide sair do palácio e Tais sorri, maliciosamente. Héber se aproxima de Samara e senta-se ao seu lado para consolá-la. Faruk está revoltado diante de Simas dizendo que a ama. Após propor o duelo, Simas fica irritado. Faruk avança sobre Simas e o ameaça. Judi vai até o quarto de sua irmã e conta sobre o duelo que irá acontecer. Sansão caminha pensativo e solitário. Zilá pede a Deus que guie os caminhos de seu filho. Sansão continua caminhando quando se depara com uma carroça destruída, com vestígios de um ataque. Ele assusta-se quando um homem sai de trás da carroça. Dalila caminha por um pequeno mercado de rua. No mesmo local, está Rudiju. Sansão pergunta se os filisteus são responsáveis pelo ataque. O homem confirma. É quando ouvem o forte rugido de um leão. Eles se voltam rapidamente e se deparam com a fera rugindo para eles.

QUINTA 6/01
Sansão encara o leão. O Andarilho observa, apavorado. Dalila anda pelo largo das meretrizes, até que vê Myra sendo agarrada por um homem. Ela o empurra e o homem se afasta rindo. Dalila quer saber notícias de sua mãe. Myra conta que Rudiju se tornou mais agressivo e sempre machucava Agar. As duas se abraçam felizes com o reencontro, até que Dalila vê Rudiju aproximar-se. Ieda está inconformada porque Sansão e Faruk irão duelar. Simas pergunta à filha se não respeita mais a sua decisão e Ieda se desculpa. Judi observa. Sansão movimenta-se devagar, estudando os movimentos do leão. Dalila vai até uma barraca e troca seu anel por um punhal de prata e pede a ajuda de Myra para conseguir entrar no local. Algumas mulheres ensaiam números de dança no palácio, diante de Hannah. Hannah quer que Dalila também participe do ensaio, mas Tais avisa que a moça saiu do palácio. Dalila caminha em direção ao local onde Rudiju entrou. Myra chama o homem que tentou agarrá-la. Sansão se defende dos golpes e mordidas do leão. Faruk e o soldado Aron treinam. Após muito esforço, Sansão agarra e domina o leão. Faruk desarma Aron, fazendo-o cair ao chão. Ele ouve aplausos e vê Judi se aproximar. Faruk quer saber se Ieda está ciente do duelo. Quer saber também, qual é o nome do pretendente de sua amada. Após a luta com a fera, Sansão se levanta exausto e ferido. Quando Sansão olha em volta, o Andarilho não está mais ali. Na casa de meretrizes Rudiju está na cama quando Dalila entra, com o rosto coberto por véus e por isso não é reconhecida por ele. O homem lhe dá um tapa devido a demora para atendê-lo. Dalila dança para Rudiju e se aproveita de sua condição para amarrá-lo na cama. Dalila tira o último véu que cobria seu rosto. O homem chamado por Myra entra e Dalila entrega o punhal de prata nas mãos dele. Dalila se afasta enquanto ouve-se o grito de Rudiju ecoar. Sansão chega até um belo riacho e lava seu rosto. Ieda está em seu quarto. Seu medo é de uma possível reação do soldado. Judi ouvia a conversa. Dalila caminha pelos corredores do palácio enquanto Myra a segue. É quando surge Hannah gritando pelo nome de Dalila. Dalila tenta se explicar, mas é interrompida por Hannah. Ela quer saber quem é a mulher que está acompanhando Dalila. Hannah chama os guardas que levam Myra do palácio. Hannah manda Dalila acompanhá-la para não ter o mesmo destino. Dalila se assusta ao se deparar com um grupo de soldados no quarto. Eles bebem e riem. Hannah avisa que está deixando a moça para que os sirva durante toda a noite. Ela implora para que Hannah não faça isso. Tais, Jana e Yunet observam por trás de uma pilastra e Tais parece satisfeita. Dalila está no centro do quarto e os homens se aproximam em volta dela. Ela tenta fugir, mas um dos soldados a segura e pede que a moça dance. Dalila encara os homens e começar a dançar, mas lágrimas escorrem de seus olhos. Cário observa o sofrimento de Dalila. Alguns homens trabalham no povoado de Sansão. Samara vê Héber tentando colocar os animais para dentro da cerca. Ele se assusta ao vê-la. Samara diz que não agradeceu a Héber quando ele a confortou durante a conversa que tiveram. Héber assente. A moça diz que espera que Sansão seja feliz. Héber a observa, triste. Sansão caminha pelos comerciantes em Timna e dá um forte esbarrão em Judi. Ele se abaixa para ajudá-la e Judi vê suas tranças. Ela murmura o nome de Sansão, que fica intrigado. Judi simula uma dor na perna e pede que Sansão a leve em casa. O hebreu a pega no colo e leva. Dalila vê uma flor deixada no quarto. Simas conversa com Ieda mas Ama interrompe a conversa. Sansão entra na sala carregando Judi que pula do colo de Sansão e anda normalmente, surpreendendo a todos. Dalila entra no quarto das mulheres. Tais se aproxima de forma dissimulada e pergunta se está tudo bem com ela. Dalila responde que sim, surpreendendo Tais. Yunet se aproxima e pergunta se pode fazer algo por Dalila. Ela responde que não, mas que Inarus certamente pode. Dalila avista outra flor, igual a que estava à beirada de sua cama. Simas, Sansão e Ieda ainda se olham, até que ela se aproxima dele, feliz. Ieda diz que aquele é Sansão, seu pretendente. Sansão pede desculpas pelo modo como entrou na casa de Simas e explica que Judi estava com dores na perna. Simas providencia algo para seu convidado comer. Simas pergunta o que ele quer para desistir de sua filha. Zilá está em sua casa orando. Ela está arrependida de não ter aceitado a decisão de seu filho. Faruk chega a cavalo e vê Judi, que acena para ele. Ela conta que o pretendente de Ieda estava conversando com Simas dentro de casa. Dalila caminha pelos corredores do palácio, com a flor na mão. Ela vê mais duas flores no chão e segue em direção a elas. Na sala de Abbas, Hannah veste a roupa diante do olhar do comandante. Abbas debocha de Hannah, que o encara, séria. Ele comenta sobre a chegada da nova cortesã, mas Hannah se faz de desentendida. O comandante quer conhecê-la. Dalila caminha e chega até o jardim do palácio. Ela avista o arbusto com as mesmas flores. É quando ela percebe que logo atrás está o príncipe Inarus. Sansão se ofende com a proposta de Simas até que Faruk entra na sala e o hebreu muda de idéia, aceitando o duelo. No quarto das mulheres, Hannah distribui roupas para as novas cortesãs e percebe a falta de Dalila. Decide ir atrás dela. Hannah se dirige até o jardim e se detém ao ver Dalila diante do príncipe Inarus. O príncipe se levanta e põe a mão no ombro de Dalila. Faruk está nervoso porque Sansão será seu oponente e pensa em alguma forma de derrotá-lo. Dalila entra no quarto das mulheres e Hannah está a sua espera. Dalila diz que só atendeu ao chamado do príncipe, pois Hannah não foi encontrada. Dalila diz que gostaria de se recolher, já que no dia seguinte, fará companhia ao príncipe novamente. Faruk anda na feira livre e avista um homem rodeado por ervas e alguns recipientes com pó. Ele quer algo para derrotar Sansão. Hannah entra apressada no quarto das mulheres. Logo fica sabendo que Myra ficará morando no palácio com a permissão de Inarus. O comerciante passa um óleo na lâmina da espada de Faruk e explica que aquele veneno fará seu oponente perder os sentidos. Vários homens estão presentes na casa de Simas, entre eles, soldados filisteus. Eles vibram e incentivam Faruk. Sansão está em um canto orando. Ieda pede que seu amado tenha cuidado. Sansão chega ao local com Ieda. Simas entrega uma espada a Sansão. Aron entrega a espada a Faruk que diz que Sansão vai se arrepender de ter cruzado seu caminho.

SEXTA 7/01
Sansão e Faruk se encaram. Judi parece ansiosa ao lado de Ieda, que está preocupada. Sansão faz sinal com a mão, chamando Faruk. Sansão se defende dos golpes ágeis de Faruk. No palácio, Hannah esbraveja porque Dalila foi até Inarus sem sua autorização. Dalila está num canto, pensativa. Myra tem medo que os soldados descubram o que aconteceu à Rudiju. Dalila diz que houve justiça e que ninguém será punido por isso. Hannah ouve toda a conversa. Faruk fere Sansão no braço. Depois de mais um ferimento, Faruk vai golpeá-lo, mas Sansão segura a lâmina. Faruk debocha de Deus e Sansão avança sobre ele e encosta a espada em seu pescoço. Simas intercede e anuncia que sua filha se casará com o hebreu. Faruk se afasta com ódio. Hannah está nervosa diante de Abbas porque pede a ajuda do comandante para expulsar Dalila alegando que ela pode ser um perigo para Inarus. Ele se nega. Hannah sai, deixando Abbas intrigado. Sansão caminha por um local deserto quando avista o leão que abateu. Ele percebe que uma colméia se formou na boca do animal e se ajoelha para retirar um favo e levar alguns. Manoá prova o mel, feliz, enquanto Zilá permanece séria ao saber do casamento de seu filho. Ela não concorda e se recusa a conhecer Ieda. Sansão vai embora decepcionado. Samara olha de sua janela e vê Sansão passar. Ela vai até ele e o abraça. Sansão diz que já está novamente de partida. Dalila está preocupada porque Hannah parou de perturbá-la. Abbas entra no quarto das mulheres e se aproxima de Dalila para se apresentar, enquanto a olha com interesse. Myra fica assustada com Abbas. Após um momento de descontração, Dalila seduz o comandante enquanto eles são observados por Hannah que, furiosa, expulsa Dalila. Abbas se afasta, aumentando mais a raiva da chefe das cortesãs. Ieda está pensativa em seu quarto devido à derrota de Faruk. Faruk diz para Aron que irá no casamento de Ieda. Sansão convida Héber para seu casamento, mas o rapaz se nega a entrar na casa de um filisteu. Jidafe se aproxima e diz que Sansão é um covarde por virar as costas para seu povo. Dalila dança para Inarus. Sansão caminha sozinho por um terreno vasto e deserto. Dalila volta para suas acomodações e diz que se afastará por um tempo. Ela pede a Myra que tome cuidado com Abbas e Hannah. Alguns dias depois, Ieda está sendo arrumada por outras mulheres em seu quarto. Ama entra e se emociona ao ver Ieda. Ela pergunta se os pais de Sansão irão para a cerimônia, mas triste, Ieda responde que não. Simas caminha por um trigal, enquanto é observado por Sansão que se aproxima. Emocionado, Simas pede que Sansão cuide de sua filha. O hebreu promete que fará Ieda feliz. Dalila chega em sua casa para o funeral de Rudiju. Ela quer levar sua mãe até Gaza para morarem juntas, mas Agar a expulsa de casa e culpa Dalila por tudo de ruim que já lhe aconteceu. Dalila encara a mãe, decepcionada, antes de sair. Dalila caminha chorando. Ela diz que seu lugar não é mais ali. Sansão está visivelmente deslocado em seu casamento devido à presença de filisteus. Manoá conversa com sua esposa sobre netos. Triste, Zilá diz que não será possível vê-los, já que seu filho agora vive com os filisteus. Sansão observa um número de dança. Ieda é trazida pelos empregados. Simas se aproxima e o casal se dirige até o sacerdote. O homem sela a união do casal. Sansão beija Ieda carinhosamente até que chega Faruk com cerca de trinta homens. Faruk diz que estão no local em paz. Simas pede para que os soldados fiquem. Faruk acomoda-se e Sansão permanece irritado. No quarto das mulheres, as cortesãs terminam uma dança, sob o olhar de Hannah. Myra está mais cansada que as demais. Hannah se aproxima da moça e a humilha. Sansão observa os homens comerem como animais. Alguns homens debocham do povo hebreu e Sansão propõe um enigma para os soldados. Se alguém decifrar o enigma, Sansão dará uma roupa de festa para cada homem presente. O enigma é: Do comedor saiu comida… e do forte saiu doçura. Ninguém sabe responder. Eles têm o prazo de sete dias. Ieda e Sansão estão deitados em seu quarto enquanto se beijam felizes. Judi está animada diante de Simas. Faruk vai até um local onde estão um hebreu e sua esposa. Ele os ameaça para obter a resposta para o enigma, porém ninguém sabe responder. Tais e as outras cortesãs estão no jardim do palácio quando veem Myra carregando alguns galões. Tais humilha Myra enquanto Cario vê tudo. Héber está pensativo, distante dos homens que trabalham. Samara se aproxima trazendo água para ele. Héber diz que sempre achou que estaria presente no casamento de seu amigo. Samara fala que sempre achou que ela estaria se casando com Sansão. Héber se preocupa com o destino de Sansão, já que está entre filisteus. Faruk e os soldados oprimem os hebreus interrogando e castigando-os. Sansão levanta de sua cama e desperta assustado. Seu pesadelo mostrava fogo e destruição, mas Ieda logo conforta seu marido dizendo que tudo não passou de um sonho. Ela o beija. Faruk está inquieto diante do olhar irônico de Judi. Ele está furioso porque encara o enigma de Sansão como uma forma de humilhar os filisteus. Judi diz que o soldado deve esquecer Ieda e olhar para outras mulheres. Ela se insinua para Faruk e quase o beija. O soldado propõe a Ieda que consiga a resposta para o enigma. Se conseguir descobrir, ele a tomará como esposa. Simas observa Ieda abrir uma caixinha e retirar um anel de dentro. Ele explica que aquele anel pertenceu à sua esposa e que seria dado para a primeira filha que se casasse. Ieda sorri e abraça o pai, emocionada. Os dois falam sobre Sansão, até que se dão conta de que ele não está no local. Sansão está em um local pouco iluminado quando entra e vê a mulher em sua cama, sob os lençóis, de costas para ele. Ele deita-se e a abraça. Judi se vira e o beija calorosamente. Sansão percebe e abre os olhos se surpreendendo ao ver Judi, que se afasta e para na porta. Ela começa a seduzi-lo tentando descobrir a resposta para o enigma. Sansão a segura pelo braço pronto para expulsá-la quando chega Ieda e pergunta o que sua irmã está fazendo ali. Judi desconversa e sai do quarto. Ieda diz que sua irmã é surpreendente. Sansão a surpreende com um beijo. Ao amanhecer, as cortesãs dançam, mas param quando veem Dalila entrar. Dalila pergunta à Hannah onde está Myra. A chefe das cortesãs não responde e ameaça a permanência de Dalila no palácio. Dalila responde que ela está enganada e sai, deixando Hannah furiosa. Dalila anda no jardim à procura de Myra e pergunta a Cario sobre Myra. Cário aponta para um local onde Myra está despejando um galão com restos de comida. Dalila manda Myra deixar de fazer aquilo e diz que as coisas irão mudar. Abbas está nervoso diante de Faruk e sugere que ao invés de utilizar Judi, o soldado deverá ameaçar a vida de Ieda para obter a resposta do enigma. Faruk sai apressado e Abbas permanece furioso, de costas para a porta. Ele se vira e se surpreende com Dalila. Ela pede para ver o príncipe, mas o comandante diz que Inarus não está no palácio. Abbas se oferece para resolver o problema de Dalila. A moça sorri maliciosa e o beija calorosamente. Faruk galopa a toda velocidade por locais desertos. Hannah escolhe roupas com mulheres, quando Dalila se aproxima. Ela chama Myra e anuncia que ela é a nova chefe das meretrizes. Hannah se espanta e as mulheres ficam surpresas. Sansão caminha na festa, orgulhoso enquanto Simas permanece preocupado com a falta de respostas para o enigma. Ele pede que Sansão revele a resposta, mas o hebreu se nega, lembrando que o prazo termina no dia seguinte. Ieda é pega por Faruk. Ele a ameaça e dá o prazo até o dia seguinte para que Ieda descubra a resposta para o enigma, caso contrário, os soldados colocarão fogo na casa de seu pai.

Comentários encerrados.

Fina Estampa
Aquele Beijo
A Vida da Gente
Malhação
O Astro
Amor e Revolução
Cristal
Amigas e Rivais
Marimar
Quase Anjos
Vidas em Jogo
Rebelde
Dona Bárbara
Parceiros